xiquitsi-simone-de-carvalho-violinoNascido no Porto, em 1983, Daniel Moreira é licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto (2006); mestre em Composição e Teoria Musical pela Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto (2010), tendo realizado a tese de mestrado sob a orientação de Eugénio Amorim; e, desde 2012, doutorando em Composição no King’s College da Universidade de Londres, onde trabalha sob a orientação de George Benjamin e Silvina Milstein.

Como principais professores, ao longo do seu percurso, destacam-se João-Heitor Rigaud, Dimitris Andrikopoulos, Fernando Lapa e George Benjamin (composição); Miguel Ribeiro-Pereira, José Oliveira Martins e Silvina Milstein (teoria e análise musical); e Carlos Guedes (música electrónica). Participou ainda em seminários e/ou teve aulas ocasionais com Helmut Lachenmann, Klaas de Vries, Magnus Lindberg, Jonathan Harvey e Kaija Saariaho; e em workshops com o Remix Ensemble, Quarteto Diotima, Lontano Ensemble e Orquestra Gulbenkian.

A actividade de Daniel Moreira enquanto compositor abraça múltiplos géneros e formatos, da música orquestral à de câmara, passando pela música vocal e para ensemble. Em 2015, esse âmbito alargou-se à música cénica, com a composição da primeira ópera; e alargar-se-á, em 2016, à música de filme, com a composição da primeira banda sonora.

A sua música recente revela um especial interesse na interacção polifónica entre materiais contrastantes, cada um deles com um perfil musical próprio, a que corresponde um determinado carácter psicológico ou dramático. Esta abordagem conjuga-se muitas vezes com referências ao cinema e à literatura. De resto, boa parte das obras mais recentes são vocais, pondo em música poemas de autores tão diferentes como Luís de Camões, Camilo Pessanha, Fiama Brandão e Eugénio de Andrade — e, ainda, poemas de origem popular —, assim evidenciando um especial interesse em explorar o carácter rítmico e fonético da Língua Portuguesa.

A sua música tem sido encomendada por diversas instituições (Casa da Música, Banda Sinfónica Portuguesa, Movimento Patrimonial para a Música Portuguesa, Antena 2/RDP, Festival Musica de Estrasburgo, European Concert Hall Organisation e Chester&Novello, entre outras), sendo tocada, principalmente, em Portugal e outros países europeus. Destaca-se a participação em três festivais de música contemporânea, com obras escritas para os agrupamentos residentes da Casa da Música (Witten, 2009; Estrasburgo, 2010; Estrasburgo, 2012); a estreia da obra coral Poema para a padeira em três salas de concerto europeias (Cité de la Musique, Paris; Sage Gateshead, Reino Unido; Fundação Gulbenkian, Lisboa), em 2014, no âmbito do programa “Rising Stars”, da ECHO; e a selecção, em 2015, para participar no “LSO Panufnik Scheme”, um workshop em várias fases (ao longo de um ano) com a Orquestra Sinfónica de Londres, que culminou com a apresentação de uma nova peça para orquestra, num ensaio aberto ao público, em Março de 2016.

Para além de vários prémios em concursos internacionais de composição (3º Prémio no Concurso Internacional de Composição Gian Battista Viotti, em 2007; Menção Honrosa no 3º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim, em 2008; 2º Prémio no 1º Concurso Internacional de Composição GMCL/Jorge Peixinho, em 2014), foi Jovem Compositor em Residência na Casa da Música, em 2009, e representou Portugal na Tribuna Internacional de Compositores da UNESCO, em 2010.

É, desde 2009, professor de composição, análise e estética musical na ESMAE e, desde 2015, visita regularmente o projecto Xiquitsi, em Maputo, onde lecciona composição, análise e história da música.

É também, desde 2014, investigador em teoria das artes no CITAR da Universidade Católica Portuguesa, apresenta regularmente o seu trabalho teórico e analítico em conferências nacionais e internacionais, de que se destaca a European Music Analysis Conference (Leuven, Bélgica, 2014) e a Keele Music Analysis Conference (Keele, Reino Unido, 2015).

Colabora frequentemente com a Casa da Música, desde 2009, escrevendo notas de programa, apresentando palestras pré-concerto e concertos comentados, e orientando cursos de curta duração para públicos não-especializados.

É, desde 2004, membro do Coral de Letras da Universidade do Porto.